Atualize seu navegador!
Notícias

Codevasf expõe pinturas de artista qualificado pela APAE-DF

  • 33354084863_43791aeb60_z
  • 33275078104_79949efd93_z
  • 33960542332_ed394f42a1_z
  • 34007842182_ee249dba90_z
  • 34165298925_46d991442f_z

O Espaço Cultura Codevasf mostra, de 18 a 28 de abril, a exposição “As cores e a coragem de Gui”, do artista plástico Guilherme Feliciano, que nasceu com síndrome de Down. Essa é a primeira exposição individual dele, onde apresenta trabalhos em acrílico e óleo sobre tela e papel, mostrando paisagens e temas abstratos. Na última quinta-feira (20), a exposição foi visitada por alunos da Associação dos Pais e Amigos dos Excepcionais do Distrito Federal (Apae-DF), instituição onde Guilherme também foi qualificado. 

Segundo Graça Martins, mãe de Guilherme, as cores do trabalho do artista manifestam uma sensibilidade viva e intensa, sem preocupação com o modismo pictórico. “Suas obras revelam uma atemporalidade, que nos falam aos olhos e se complementam na mente e no coração, o que significa que o artista encara a arte com serenidade de quem sabe, por ter o privilégio de encontrar magia onde antes ninguém as tinha notado”, disse.

Amiga de Guilherme, a aluna da Apae Juliana Fernandes da Silva, também com síndrome de Down, confessa que achou a exposição super interessante. “Eu gostei, convivi com ele acho que mais de dez anos e não sabia que ele pintava tão bem”, contou.

O aluno Rafael Albuquerque Macedo é autista e também realiza trabalhos com pinturas. “Pinto telas com paisagem, natureza, nuvem, barco, água, árvore, colorido, tinta acrílica, natureza, carro, fazendo estilo. O que mais gostei foi do carro e do Cristo Redentor que ele fez, ele fez muitos quadros”, completou.

A mãe de Guilherme disse estar muito feliz com a exposição do trabalho do filho. “Não sei nem explicar minha emoção, ainda guardo em casa o primeiro trabalho dele, de quando tinha seis anos de idade”, lembrou.

Aos seis anos, Guilherme pisou nas tintas durante uma aula de artes e saiu correndo. A professora logo enxergou o talento do menino e fez uma camisa com a figura dos pés em fuga com o título: “Mamãe, estou te seguindo”. A mãe, que é artista plástica, conta que a partir desse episódio Guilherme começou a seguir o caminho das artes.

Foi somente nove anos depois, já aos 15 anos, que o artista começou a se dedicar mais. Incentivado por uma pedagoga e arteterapeuta, começou a criar desenhos. O resultado desse trabalho virou uma exposição coletiva, na Biblioteca Demonstrativa de Brasília, em 2005. Além de Guilherme foram expostas outras obras de pessoas com síndrome de Down. “Eu também incluí as obras dele em minha monografia, cujo tema foi Inclusão de pessoas com Síndrome de Down através da arte”, acrescentou Graça Martins.

No currículo, Guilherme tem mais de dez exposições em locais como o Espaço Cultural Renato Russo e o Shopping de Valparaíso de Goiás, onde participou da coletiva “Superando Limites”. 

Serviço
Quando: até 28 de abril
Horário de visitação: 8h às 17h; entrada gratuita
Onde: Espaço Cultura Codevasf
SGAN 601, Ed. Manoel Novaes, Térreo
Sede da Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba (Codevasf)

Fotografias: https://www.flickr.com/photos/codevasf/sets/72157682752036626 

 

Matéria Original: http://www.codevasf.gov.br/noticias/2017-1/alunos-da-apae-visitam-exposicao-no-espaco-cultura-codevasf

 

 

 


Fonte: Codevasf